NORMAN PARKINSON

banner quadrado FDL2

 

 

 

 

 

 

 

 

 

banner 1 NORMAN PARKINSON 753x372px

 

Centro Cultural de Cascais é o ponto de partida para a itinerância mundial da exposição Norman Parkinson: Sempre na Moda

 

A FUNDAÇÃO D. LUÍS I APRESENTA,

PELA PRIMEIRA VEZ EM PORTUGAL E NO MUNDO,

A EXPOSIÇÃO RETROSPETIVA

NORMAN PARKINSON: SEMPRE NA MODA.

 

Lembrado pelo seu olhar inovador e único, Norman Parkinson foi decisivo para as transformações na fotografia de moda no século XX. Ao longo de 56 anos de carreira desenvolveu um estilo distinto, embarcando na fotografia nos anos 30 e trabalhando continuamente até à sua morte, em 1990.

Nas suas fotografias materializou-se o estilo do século XX: desde o período pré-guerra dos anos 30 na Grã-Bretanha, a austeridade da moda na Segunda Guerra Mundial, o New Look parisiense dos anos 50 e o London Swinging nos anos 60, até ao glamour e brilho dos anos 70 e 80.

 

1 Pamela-Minchin Harper¹s-Bazaar Jul-1939 sepia- Norman-Parkinson-Archive Iconic-Images web res
Pamela Minchin, Harper's Bazaar, julho, 1939 © Norman Parkinson Archive / Courtesy Iconic Images

 

Com um olhar "fora da caixa", Parkinson começou a ter reconhecimento nos seus primeiros anos quando revolucionou a fotografia movendo os modelos femininos do ambiente estático, sério e controlado dos estúdios fotográficos para locais da vida quotidiana e ambientes exóticos. Este dinâmico e espontâneo estilo ganhou a atenção de inúmeras revistas de moda, incluindo a Harper's Bazaar, a Vogue e a Town & Country, o que lhe veio a garantir reconhecimento internacional.

A exposição Norman Parkinson: Sempre na Moda representa uma generosa retrospetiva da carreira influente de Parkinson, dando a conhecer 80 fotografias que, ao refletirem a transformação da moda feminina, ajudaram a redesenhar o modo como esta foi sendo comunicada ao longo de décadas. Na exposição, patente no Centro Cultural de Cascais até janeiro, poderão ser vistas fotografias das diferentes fases de produção do artista. O documentário Aka Norman Parkinson (Também Conhecido por Norman Parkinson), coproduzido pela a BBC para a série documental Arena e pelo Norman Parkinson Archive, integra igualmente a exposição.

 

2 Young-Velvets-Young-Prices US Vogue-Oct-1949- Norman-Parkinson-Archive Iconic-Images web res
Young Velvets, Young Prices, Hat Fashions, Vogue americana, outubro, 1949 © Norman Parkinson Archive / Courtesy Iconic Images

 

A captação, em 1939, da modelo Pamela Minchin em suspensão, vestida com um fato de banho da Fortnum & Mason, na Ilha de Wight (Inglaterra) para a Harper's Bazaar, exemplifica a ousadia de Parkinson. Parkinson disse mais tarde sobre a imagem: "Quando vi a foto depois de revelada, tornou-se claro para mim que tinha de ser fotógrafo para o resto da minha vida. Fiquei absolutamente maravilhado com a sua magia."

Na fase que compreende as décadas de 40 e 50, em que Parkinson inicia uma longa colaboração com a Vogue, produz imagens que sugerem narrativas como se poderá constatar na Young Velvets (Young Velvets, Young Prices, New York, Vogue, 1949), que concentra quatro modelos ostentando os seus chapéus com os arranha-céus de Nova Iorque como pano de fundo. Ainda dentro deste período surgem imagens da sua musa e esposa Wenda Parkinson, que se tornou uma das principais modelos da época.

 

3 Audrey-Hepburn Glamour Dec-1955-- Norman-Parkinson-Archive Iconic-Images web res
Audrey Hepburn (1929-1993), fotografada em La Vigna, a vila de Hepburn nos arredores de Roma,
Glamour, dezembro, 1955 © Norman Parkinson Archive / Courtesy Iconic Images
 

Os anos 60 e 70 marcaram grandes alterações nos estilos de vida, mas Parkinson soube acompanhar essas mudanças reinventando o seu estilo e mantendo-se a par da geração emergente de novos jovens fotógrafos e modelos. Na década de 1960 continuou a detetar novos rostos e começou a trabalhar com a revista The Queen. Já nos anos 70, as suas imagens contribuíram para elevar novos modelos como Jerry Hall e Iman a superstars. Durante estes vinte anos Parkinson produziu icónicas fotografias dos Rolling Stones e dos Beatles e de designers de moda como Yves St Laurent, Hubert de Givenchy, Jean Muir e Zandra Rhodes.

Os anos 80 são marcados pelo reconhecimento de Parkinson pela rainha Isabel II de Inglaterra que o nomeou Comandante do Império Britânico (C.B.E.) e por uma série de novos retratos encomendados para uma grande exposição retrospetiva na National Portrait Gallery de Londres.

 

4 Parkinson--Nena Queen Feb-1960- Norman-Parkinson-Archive Iconic-Images web res
Norman Parkinson e Nena von Schlebrügge, Queen (capa), 16 de fevereiro, 1960 © Norman Parkinson Archive / Courtesy Iconic Images

 

A exposição Norman Parkinson: Sempre na Moda tem curadoria de Terence Pepper, que foi durante mais de 40 anos Curador de Fotografia na National Portrait Gallery, em Londres.

A mostra estará patente no Centro Cultural de Cascais, de 28 de setembro a 20 de janeiro de 2019, e depois entrará em circulação por vários países, estando já marcadas datas para Espanha. Com produção da Terra Esplêndida, entidade que fará também a gestão da itinerância internacional da exposição, a organização é da Fundação D. Luís I e da Câmara Municipal de Cascais, no âmbito da programação do Bairro dos Museus.

 

5 Antonio-Lopez--Jerry-Hall British-Vogue May-1975- Norman-Parkinson-Archive Iconic-Images web res 
Jerry Hall e Antonio Lopez (1943-1987), Jamaica, Vogue britânica, maio, 1975 © Norman Parkinson Archive / Courtesy Iconic Images

 

Norman Parkinson – Biografia


Ronald William Parkinson Smith nasceu a 21 de abril, de 1913, em Londres. Frequentou a Westminster School onde desenvolveu um interesse pela arte. Após a sua educação formal, Parkinson fez um estágio com o fotógrafo Richard N Speaight em Londres, onde aprendeu a dominar as técnicas da fotografia. Em 1934, abriu o seu próprio estúdio na Dover Street, em frente ao Ritz Hotel, com outro jovem fotógrafo chamado Norman Kibbkewhite, tendo combinado que criariam um nome profissional a partir dos nomes dos dois. A parceria com Kibbkewhite não durou muito, mas Parkinson decidiu manter o nome profissional que tinham criado.
A primeira exposição montada por Parkinson no seu estúdio, em 1935, incluiu trabalhos importantes como o retrato de Vivien Leigh. Trabalhando em diferentes estilos para múltiplas revistas, incluindo The Bystander, The Sketch e Tatler, o seu trabalho de moda acabou por ser publicado na edição britânica da Harper's Bazaar, tendo sido considerado pioneiro no estilo "action realism".
Ao longo de seis décadas, muitas centenas de fotografias de Parkinson foram publicadas nas mais reconhecidas revistas de moda como a Vogue, Harper's Bazaar, The Queen e na Town and Country de Hearst. Fotografou modelos como Wenda Roberson, com quem viria a casar, Barbara Goalen, Jean Shrimpton, Celia Hammond, Jill Kennington, Twiggy, Nena Von Schlebrügge, Jerry Hall e Iman. Do mundo de Hollywood destacam-se os atores Montgomery Clift, Elizabeth Taylor, Audrey Hepburn, Gregory Peck, Ava Gardner e Katharine Hepburn. O número de figuras da moda, cinema, literatura, música e política fotografados por Parkinson é infindável.
As realizações de Parkinson foram reconhecidas pela rainha Isabel II quando, em 1981, foi condecorado como um C.B.E. (Comandante do Império Britânico). No mesmo ano, foi homenageado com uma grande exposição retrospetiva na National Portrait Gallery de Londres. A exposição incluiu uma série de novos retratos encomendados que foram complementados com destaques do trabalho realizado para a revista Town and Country de Hearst, para quem ele trabalhou consistentemente até ao final da sua carreira. De entre os seus trabalhos mais recentes fazem parte retratos de moda de Carmen Dell'Oreficce, ainda uma modelo de renome internacional, cuja carreira ele ajudou a relançar em 1980 e com quem trabalhou ao longo de quarenta anos.
Morreu em Fevereiro de 1990 em Singapura, depois de ter sofrido uma hemorragia cerebral enquanto fotografava na Malásia.

 

Terence Pepper


O seu percurso começou em Direito, mas rapidamente se encaminhou para as artes. Depois de frequentar uma pós-graduação em Biblioteconomia no Ealing Technical College e trabalhar um ano com a Mansell Collection, juntou-se à National Portrait Gallery, em 1975, na qual viria a tornar-se Curador de Fotografia três anos depois e, posteriormente, responsável pela área de fotografia da galeria.
Em 1981, curou a sua primeira grande exposição - Norman Parkinson: 50 Years of Portraits and Fashion -, também exibida numa versão mais reduzida em Nova York, na Sotheby's e na National Academy of Design.
Ao longo dos seus quarenta anos na National Portrait Gallery, Terence Pepper curou mais de 150 exposições fotográficas incluindo Helmut Newton: Portraits e Alice Springs: Portraits (1988), seguida de pesquisa para a primeira monografia sobre Lewis Morley: Photographer of the Sixties (1989). Editou um livro, escrito em parceria com John Kobal, sobre o fotógrafo da MGM Clarence Sinclair Bull: The Man Who Shot Garbo que se tornou o modelo de uma série de exposições de sucesso, incluindo Horst: Portraits (2001) e Beaton: Portraits (2004), bem como, mais recentemente, Man Ray: Portraits (2013- 2014), apresentada na Scottish National Portrait Gallery, Edimburgo e The Pushkin Galeria, em Moscovo. Entre as exposições mais recentes contam-se Audrey Hepburn: Portraits of an Icon, na National Portrait Gallery, em Londres (2015), James Abbe: Photographer of the Jazz Age, no Fashion and Textile Museum, em Londres (2016) e Graham Keen: 1966 And All That, no Lucy Bell Gallery, em St. Leonard's, no Reino Unido (2016).
Terence Pepper foi condecorado em 2002 com a OBE (Ordem do Império Britânico) pelos serviços prestados na área da fotografia e da arte. É membro honorário da Royal Photographic Society, tendo recebido da mesma o prémio por notáveis serviços prestados à fotografia 'Outstanding Service to Photography' em 2014. Terence Pepper é atualmente consultor de fotografia e Conselheiro Especial Superior na área de Fotografia do Fashion and Textile Museum, em Londres.

 

Iconic Images


Iconic Images (www.iconicimages.net) detém e representa arquivos de fotógrafos de renome internacional como Terry O'Neill, Milton H. Greene e Norman Parkinson, vendendo impressões de edição limitada, criando exposições de arte em mais de 40 galerias em todo o mundo e licenciando e produzindo produtos de topo como livros, tabuleiros de gamão, t-shirts, lenços, entre outros.

 

Clipping


 

Revista Time Out

 

Revista Visão

 

Revista Sábado

 

 

 

Online


 

in DELAS

 

in DIARIO DE NOTICIAS

 

in GUIA DA CIDADE

 

in TIMEOUT

 

in VISÃO