Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
Início Outros Percursos 7ª CONVERSA DA III REPÚBLICA

7ª CONVERSA DA III REPÚBLICA - 40 ANOS DE DEMOCRACIA

Auditório da Casa das Histórias Paula Rego - 10 de Abril de 2014, quinta-feira, às 21h00

7 conversa 750x250 

C A R L O S   A V I L E Z   .   C A R L O S   C A R V A L H A S 

M o d e r a d o r :   A n t ó n i o   B o r g a



Realizou-se no passado dia 10 de Abril a penúltima sessão das CONVERSAS DA III REPÚBLICA, que a Fundação D. Luís I tem vindo a promover desde Outubro do ano passado com o objectivo de contribuir para a celebração dos 40 anos de Democracia em Portugal. Nesta sessão participaram Carlos Avilez e Carlos Carvalhas, cabendo a António Borga a missão de moderar um conjunto de intervenções que muito interessaram e entusiasmaram o público presente.

 

P1540872-001 370x208 P1540905-001 370x208
P1540761-001 370x208 2 P1540909-001 370x208
P1540863 370x208 P1540816 370x208

 

148451 547618481918391 426158189 n 316x176
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C A R L O S   A V I L E Z
 Encenador

Estreou-se como Actor em 1956, na Companhia de Teatro Amélia Rey Colaço – Robles Monteiro, tendo iniciado em 1963 as suas arrojadas experiências como Encenador. Passa pelo Teatro Experimental do Porto, dirige o Círculo de Iniciação Teatral da Academia de Coimbra e é co-fundador, em 1965, do Teatro Experimental de Cascais, onde se mantém, liderando um plano inovador que marca indelevelmente o Teatro Português e constitui referência fundamental na vida cultural portuguesa, faz em breve 59 anos. Foi Presidente do Instituto Português de Artes Cénicas, Director do Teatro Nacional S. João, no Porto, e Director do Teatro Nacional de Dona Maria II, em Lisboa. Funda, em 1992, a Escola Profissional de Teatro de Cascais. Em 1995 é agraciado Comendador pela Ordem do Infante D. Henrique e recebe a Medalha de Mérito da Câmara Municipal de Cascais.

 

Carlos Carvalhas 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
C A R L O S   C A R V A L H A S
 Economista e Político

Nasceu em São Pedro do Sul. É licenciado em Economia pelo Instituto de Ciências Económicas e Financeiras da Universidade de Lisboa e aderiu ao Partido Comunista Português em 1969, com 27 anos. Esteve envolvido no Movimento Estudantil de oposição ao regime de Salazar e participou nas campanhas para as Eleições Legislativas de 1965, 1969 e 1973, todas elas ganhas pela União Nacional que "elegeu" – sempre – 100% dos seus deputados.
Exerceu a sua actividade profissional numa empresa do Grupo CUF, a Profabril, da qual foi Director Financeiro, intervindo, entretanto, em acções sindicais dos Metalúrgicos.
Após o 25 de Abril foi Secretário de Estado do Trabalho nos cinco Governos Provisórios, entre Maio de 1974 e Agosto de 1975, que tiveram como Primeiro-ministro Adelino da Palma Carlos (no 1º) e Vasco Gonçalves, nos seguintes. Foi também Vice-Presidente do Conselho Nacional do Plano, Deputado ao Parlamento Europeu e Membro do Conselho da Europa.
Candidato à Presidência da República em 1991, sucedeu a Álvaro Cunhal, em 1992, no cargo de Secretário-Geral do Partido Comunista Português, cargo ao qual renunciou em 2004. Foi membro do Conselho de Estado.
Entrevistado para a Antena 1, Carlos Carvalhas afirmava, há quinze anos, que "a moeda única é um projecto político que conduzirá a choques e a pressões a favor da construção de uma Europa federal, ao congelamento de salários, à liquidação de direitos, ao desmantelamento da segurança social e à desresponsabilização crescente das funções sociais do Estado."

 

 

CONVERSA III REPUBLICA 7 pr 370x226

clique na imagempara visualizar convite

 

 

Publicação2 750x422

 

 

 

Agenda

<<  Novembro 2019  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
      1  2  3
  4  5  6  7  8  910
11121314151617
18192021222324
252627282930