Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
Início Exposições Exposições Anteriores
VIDROS PINTADOS

Exposição Vidros Pintados do Salão Vermelho

 

 VIDROS PINTADOS 750x250

 

 

Continuar...
 
JORGE FEIJÃO
Exposição Eco Vê Narciso | Juno
8 de novembro a 9 de março de 2015
 

xxl Jorge Feijão

 

"( ... ) o desenho de Jorge Feijão - não só os que completam estas séries ao redor de Eco e Narciso ou da deusa Juno, mas todo o seu desenho - reivindica mais do que espaços, que objectivamente, muitas vezes, como que em sofrimento, atingem o rasgão do papel numa multitude de tempos. Tempos que são registo de uma acumulação de tintas, de erro e dúvida, de opções aceites e logo rejeitadas pelo exercício de uma cor sobre outra cor, de um traço, sombra, mancha, figura que depressa se v.ai remeter a um remoto palimpsesto e a um severo rigor, que desce de um mundo isolado pronto a ferir. Silencioso tempo, tempo de muitos outros tempos que se transmite na matéria desenhada de um modo veloz e convulso. Tem esse modo de passagem do invisível para o visível que o desenho favorece e possibilita, como um veloz bater de pálpebras ou um rápido fluir da imagem do próprio rosto na água ou do eco de uma voz que se repete e repete na actuação do fazer. E quando o desenho rompe com a matéria das suas cores e das suas manchas e fere a imagem e o papel que é o seu suporte, então o que resta, o que é mostrado traz consigo a energia de um sonho introdutório a um sonho primordial, fonte que permanece e que espera continuadamente figuras capazes de o validarem. As séries aqui trabalhadas perseguem este rasto.( ... )"

João Miguel Fernandes Jorge
in catálogo da exposição Eco vê Narciso I JUNO, 2014

Continuar...
 
PABLO SERRANO
Exposição «Escultura e obras em Papel»
31 de Janeiro a 29 de Março de 2015

 xxl PABLO

 De Pablo Serrano (1908-1985) será apresentada no Centro Cultural de Cascais uma série de desenhos através da qual poderá o visitante apreender o lado mais íntimo e sentimental de um grande artista espanhol que moldou a sua personalidade longe da pátria, dado que as três décadas que viveu fora do país (Argentina e Uruguai) correspondem ao período de maior produtividade na disciplina em que firmou, de forma pujante, o seu brilhante percurso: a escultura – "um meio de expressão que dá forma concreta ao pensamento." Regressado a Espanha em 1955, já consagrado na América do Sul é, desde logo, incorporado na vanguarda artística espanhola, sendo fundador do grupo El Paso, conquanto a sua obra não encaixe completamente em nenhum dos movimentos de vanguarda existentes no seu país. Recupera materiais e técnicas como a forja e o ferro e trabalha a figura humana tanto na sua forma expressiva como monumental.

Continuar...
 
HENRIQUE REIS

Exposição «Connections»
24 de Janeiro a 22 de Março de 2015

 

xxl henrique reis 750x250
 
 
O discurso plástico é pautado por um universo onde se assiste à vivência do sublime, pretendendo estabelecer-se uma conexão entre os mundos interior/exterior de cada sujeito: é o lugar do espaço, do tempo, da imaginação, da busca do eu, numa sociedade que teima em mover-se em direção à desumanização.
Continuar...
 
CHRISTOS TH. BOKOROS

Exposição No Caminho da Essência

8 de março a 25 de maio de 2014
 
xxl BOKOROS 750x250
 
O percurso pictórico de Christos Bokoros - «exercício de autognose», nas suas próprias palavras – acompanha e equaciona questões que compõem a natureza da essência do Homem: memória individual e colectiva, realidade, verdade, eternidade. A sua obra apresenta a posição que adopta face a elas, na sua dedicação de reflexão sobre a função da pintura na configuração da relação que temos com o nosso mundo exterior e interior. No seu conjunto, é um percurso que aborda com dedicação o «universo difícil» do espiritual na Arte – uma arte que seja nossa, pois interroga quem somos.
Continuar...
 
CARLOS MARQUES

Exposição Sete olhares e 21 relicários

4 de Outubro a 11 de Janeiro

 

xxl CMARQUES 750x250

 

A atitude autossuficiente e a procura insistente e depurada de Brancusi, a expansão e a simulação do movimento em César, os cabos, as amarras e a atitude interventiva de Christo, a conquista linear do espaço em Giacometti, a eleição do percurso em Long, a ortogonalidade de Lewit, a obliquidade das superfícies, o equilíbrio e a escala em Serra, são elementos que reconheço como factores de referência importante para o trabalho que desenvolvo.
Para esta exposição trabalhei a memória como exorcismo pessoal e homenagem a estes artistas, tendo, pelo seu carácter simbólico mágico e até sagrado, utilizado o número sete como estrutura de montagem.

Continuar...
 


Agenda

<<  Julho 2020  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
    1  2  3  4  5
  6  7  8  9101112
13141516171819
20212223242526
2728293031