Frontpage Slideshow (version 2.0.0) - Copyright © 2006-2008 by JoomlaWorks
Início Outros Percursos 6ª CONVERSA DA III REPÚBLICA

6ª CONVERSA DA III REPÚBLICA - 40 ANOS DE DEMOCRACIA

Auditório da Casa das Histórias Paula Rego – 20 de Março de 2014

 

6 conversa 750x250

 

T E O L I N D A   G E R S Ã O  |  D U L C E   M A R I A   C A R D O S O  |  E U G É N I O   L I S B O A

M o d e r a d o r :   J ú l i o   C o n r a d o

 

No passado dia 20 de Março, realizou-se no auditório da Casa das Histórias Paula Rego a 6ª sessão das CONVERSAS DA III REPÚBLICA que reuniu nomes tão marcantes no nosso panorama literário como Teolinda Gersão, Júlio Conrado (moderador), Eugénio Lisboa e Dulce Maria Cardoso. O público esperava, certamente, uma noite de amena tertúlia literária, mas os três convidados depressa demonstraram que as maiores preocupações que os movem neste momento não são as Letras, antes a evolução da Democracia Portuguesa desde o 25 de Abril de 1974 até à dura realidade actual: as vitórias, os fracassos, os sonhos, os desencanto, mas também a esperança que subsiste.

P1530773 370x208 P1530783 370x208
P1540025 370x208 P1530817 370x208
P1530875 370x208 P1530878 370x208
P1530896 370x208 P1530946 370x208
P1530994 370x208 P1540004 370x208

 

As CONVERSAS DA III REPÚBLICA terminam no próximo mês de Abril, com duas sessões: uma, no dia 10 de Abril, no Auditório da Casa das Histórias Paula Rego, com a participação de Carlos Avilez, Leonor Silveira e Carlos Carvalhas, moderada por António Borga. A última no dia 22 de Abril, no Auditório do Centro Cultural de cascais, com o Professor Adriano Moreira, moderada por Ana Sousa Dias.

 

Geolinda Gersao
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
T E O L I N D A   G E R S Ã O
Professora Universitária e Escritora 

Nasceu em Coimbra, onde fez a Escola Primária, o Liceu e a Faculdade, formando-se em Filologia Germânica. Saiu de Coimbra em 1961 para ir estudar Germanística e Anglística para a Alemanha, na Universidade de Tubinga e também na de Berlim, onde foi Leitora de Português durante dois anos. De regresso a Portugal foi docente na Faculdade de Letras de Lisboa e depois Professora Catedrática da Universidade Nova de Lisboa, onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada. Depois da sua estada de três anos na Alemanha viveu dois anos em São Paulo e teve uma breve passagem por Moçambique. Em 1981 edita o seu primeiro romance, Silêncio, distinguido pelo Pen Clube Português com o prémio Ficção. Antes tinha escrito um Conto, intitulado "Pequena Biografia", publicado na revista Colóquio Letras em 1968.
Em 1995 abandona a vida académica para se dedicar inteiramente à Literatura. Autora sobretudo de romances, publicou duas novelas e duas colectâneas de contos. Três dos seus romances foram adaptados ao teatro. Em 1995 foi distinguida com o Grande Prémio de Romance e Novela da Associação Portuguesa de Escritores pelo romance A Casa da Cabeça de Cavalo e, em 2002, com o Grande Prémio de Conto Camilo Castelo Branco, por Histórias de Ver e Andar. Ainda em 2002 recebeu o Prémio Fernando Namora pela novela Os Teclados.
As Águas Livres, de 2013, é a sua obra mais recente.

 

Dulce Maria Cardoso
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
D U L C E   M A R I A   C A R D O S O
Escritora 

Dulce Maria Cardoso nasceu em Trás-os-Montes, mas passou a infância em Angola para onde viajou, ainda bebé, no paquete Vera Cruz. Regressou a Portugal na ponte aérea, em 1975. Tinha 11 anos.
Licencida em Direito pela Faculdade de Direito de Lisboa, exerceu advocacia durante alguns anos, mas abdicou dessa actividade para se dedicar à Literatura, estreando-se em 2002 com a publicação de Campo de Sangue, romance distinguido com o Grande Prémio Acontece de Romance. O seu segundo romance, Os Meus Sentimentos, recebe em 2005 o Prémio da União Europeia para a Literatura. Em 2008 publica Até Nós, uma colectânea de Contos e escreve alguns argumentos para Cinema. O Chão dos Pardais é o seu terceiro romance, publicado em 2009.

Em 2012 foi condecorada pelo Governo Francês com as insígnias de Cavaleira da Ordem das Artes e das Letras de França. De 2012 é ainda o seu romance O Retorno, que narra o primeiro contacto com a nova terra de acolhimento pelos desalojados das ex-colónias.

 

Eugénio Lisboa
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
E U G É N I O   L I S B O A
Ensaísta e Crítico Literário 

Nasceu em Moçambique em Março de 1930 e partiu para a Metrópole com 17 anos. Fixa-se em Lisboa onde vem a ingressar no Instituto Superior Técnico, licenciando-se em Engenharia Electrotécnica com 23 anos. Pouco depois da crise petrolífera de 1973/1974 vai para França, em 1976, como adjunto do director mundial de exploração da Compagnie Française des Pétroles. O ramo dos petróleos foi a sua especialidade profissional durante mais de vinte anos. Uma actividade que acumulou, de 1974 a 1978, com a de Professor Universitário em Moçambique, Pretória e Estocolmo, onde regeu cursos de Literatura Portuguesa. Ingressou em 1978 na vida diplomática, tendo exercido durante dezassete anos consecutivos o cargo de Conselheiro Cultural da Embaixada de Portugal em Londres. De 1996 a 1998 presidiu à Comissão Nacional da UNESCO.
Ensaísta e crítico literário dedicou especial atenção à obra de José Régio. Grande parte dos Ensaios quie escrevera em Moçambique foram coligidos nos dois volumes de Crónica dos Anos da Peste. Colaborou em vários jornais e revistas moçambicanos, bem como nas publicações Jornal de Letras, O Tempo e o Modo e Colóquio Letras, entre outros.
É Doutor Honoris causa pelas universidades de Nottingham, no Reino Unido, e Aveiro, tendo leccionado nesta durante seis anos. Foi distinguido com o grau de Oficial da Ordem do Infante D. Henrique. Prémios literários: Cidade de Lisboa (1985) e Jacinto do Prado Coelho (2000). Obras recentes: Indícios de Oiro, Ler Régio e Acta Est Fabula.

 

CONVERSA III REPUBLICA 6 pr 370x226

Clique na imagem para visualizar convite


 

 

Agenda

<<  Agosto 2019  >>
 Se  Te  Qu  Qu  Se  Sá  Do 
     1  2  3  4
  5  6  7  8  91011
12131415161718
19202122232425
262728293031